SE INFORMA

Casamento civil igualitário; depoimentos

“Acho que todo ser humano tem direito à felicidade. Desde que essa felicidade não cause a infelicidade do outro. Se um gay se casa com outro, a mim não me causa problema nenhum. Então, por que ser contra uma coisa que significa felicidade pra eles?”
Roberto Carlos, entrevistado por Jô Soares.

“A lei do casamento gay (aprovada na Espanha) é um extraordinário passo adiante no campo dos direitos humanos e da cultura da liberdade que mostra, de maneira espetacular, quanto o quão rápido se modernizou esta sociedade onde, lembremos, faz uns quantos séculos, os homossexuais eram queimados nas praças públicas. […] Os argumentos contra o casamento gay não resistem a menor análise racional e se desfazem como teias de aranhas quando examinadas de perto”.
Mário Vargas Llosa, Prêmio Nobel de Literatura, numa coluna para o jornal espanhol El País.

“Hoje, nós somos uma sociedade mais igualitária do que na semana passada. Ao dia seguinte da sanção da lei, eu me levantei com os mesmos direitos, mas havia centenas de milhares que conquistaram o que eu já tinha. Ninguém tirou nada de mim e eu não tirei nada de ninguém. Por isso, eu digo que agora somos uma sociedade mais igual”.
Cristina Fernández de Kirchner, presidente argentina, no dia em que promulgou a lei de matrimônio igualitário.

“O que é próprio de um humanista é sentir-se ele próprio humilhado com a humilhação dos outros; o que é próprio de um humanista é sentir-se excluído com a exclusão dos outros; o que é preciso de um humanista é sentir a sua liberdade diminuída e os seus direitos são limitados quando a liberdade de outros é diminuída e os seus direitos são limitados. É por isso que, quando aprovamos uma lei que vai fazer mais pessoas felizes, é da nossa própria felicidade que estaremos a cuidar”.
José Sócrates, ex primeiro-ministro português, defendendo o casamento homossexual na Assembleia da República.

“O matrimônio é um sacramento em declínio. Os gays podem recuperá-lo. Quem pode ser contra?”.
Luiz Fernando Veríssimo, escritor brasileiro.

“Nós não estamos legislando para gentes remotas e estranhas. Estamos ampliando as oportunidades de felicidade para os nossos vizinhos, os nossos companheiros de trabalho, os nosso amigos e os nossos familiares, e ao mesmo tempo estamos construindo um país mais decente, porque uma sociedade decente é aquela que não humilha seus membros”.
José Luiz Rodríguez Zapatero, presidente da Espanha, no discurso pronunciado no Congresso antes da aprovação da lei de matrimônio homossexual.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s